domingo, 6 de novembro de 2011

Um dia...

"Um dia vais perceber que tudo acontece por uma razão; que há pessoas que te marcam pelo bem e outras que teimam em deixar contigo todas as más imagens que o passado deixou lá atrás. Um dia vais aceitar que o tempo é relativo, que as coisas não são eternas e que podem ter um fim; que não deves estar seguro dos outros e do que eles representam para ti porque o tempo não pára, nunca, só parece eterno, mas nada é eterno. E quando pensas em fazer balanços do que já foste e do que queres ser, chegas à conclusão que muita coisa mudou e nunca mais vais voltar aos mesmos sítios, às mesmas situações da mesma maneira. O tempo não parou e passou por ti. Um dia vais precisar de ir à luta, arriscar este mundo e outro por uma pessoa, por um objectivo, por um sonho; por ti. E vais perceber o que é chorar de raiva e de ódio porque o mundo não te foi entregue numa bandeja de prata mas depois vais perceber que o pior já passou! E vais seguir em frente. Um dia vais engolir as tuas derrotas, as tuas mágoas e vais querer alguém ao teu lado para poderes pedir um abraço sem te sentires a pessoa mais fraca do universo, vais gritar ao mundo que ele não é justo e que só agora te apercebeste que também não foste justo com ele. Só que as desculpas, às vezes, chegam tarde demais. Um dia vais ter que olhar para ti e ver o que foste, o que és e o que vais ser, não para fazeres mil planos, mas sim para ganhares consciência do que tens em ti. E o que vale ou não a pena. Um dia vais ser feliz, verdadeiramente feliz, porque te deixaste de histórias e de banalidades, e seguiste o teu rumo e um dia vais ter coragem e vais saber dizer adeus sem olhar para trás"

(autor desconhecido)

Tumblr_ltqjc4haan1r3agsbo1_500_large

4 comentários:

Carla disse...

Adorei. :)

B. disse...

Carla, não é meu mas eu também gostei bastante :) *

Cat disse...

Se eu tivesse alzheimer, diria que este texto poderia ter sido escrito por mim. Mas como não tenho, digo-te que me encaixa na perfeição...assim como a milhares de pessoas que se vêm confrontadas pelas inconstantes da vida.

Portanto: este texto serve-nos como uma luva cara B.

B. disse...

Eu indentifiquei-me bastante com ele e foi mesmo essa a razão de o ter publicado. Tiraste-me as palavras da boca: '' serve-nos como uma luva'' :)