quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

V*

Já lá vai um ano. Não passou a correr. As saudades que sinto de ti e do teu olhar brilhante são enormes. Só te queria comigo.
Não sei como vou conseguir habituar-me a realidade.
Não consigo imaginar voltar ao sítio onde escreveste o teu nome em 2007 e não sentir um aperto no peito.
Não sei o que fazer mais para honrar a pessoa que foste.
Só queria ouvir um '' tão prima ?'' com aquela tua pronuncia tão característica. Queria voltar atrás, pelo menos, 10 anos e voltar a brincar contigo, com a S. e com o R. na minha cama. Queria voltar a ir fumar um cigarro contigo no sotão do prédio das tias. Não é pedir muito mas sei que é impossível.
Nunca imaginei que me irias, algum dia, fazer esta falta. Sinto-me vazia quando penso em ti. Culpada. Culpada das vezes que podia ter falado contigo e não falei. Dói-me saber que perdi tempo tão precioso.
Quero acreditar, com todas as minhas forças, que viste a minha mensagem de parabéns antes de.. tu sabes. Ainda custa, impressionante.
Sinto-me tão triste anjo, não consigo descrever.
Até aqui sempre me aliviou escrever, sempre me ajudou a deitar cá para fora tudo o que sinto, ajudou a aliviar o nó que tenho no peito. Agora já pouco funciona. Sinto que estás cada vez mais distante de mim. Sinto que, á medida que o tempo passa, te vou perdendo cada vez mais e tenho medo de não te conseguir manter vivo na minha memória.
Nos primeiros meses sentia-te comigo, sabia que não me ias largar. Não te tirava do pensamento. Agora já não te sinto por perto. Tenho medo que tenhas desaparecido de vez e que, com o passar dos anos, continues cada vez mais a desaparecer. Tenho tanto medo, tanto...
Tenho pena de não te ter ido levar um raminho de flores hoje, tenho pena de não ter ido ao sitio onde está a tua sepultura para te poder sentir mais perto de mim e para te mostrar que continuas a ser meu primo preferido. Continuas a ter o teu brilho e sei, tenho a certeza, que o bem que fizeste a toda a gente foi-te recompensado e que estás num sitio bom. Tu mereces.
Hoje é mesmo um dia muito difícil para mim. Foi só há um ano. Tenho tantas saudades tuas...
Como já deves imaginar, sinto falta de saber que estavas bem. Agora percebo que isso era o mais importante porque, apesar de tudo o que te pudesse acontecer, estavas vivo e estavas á distancia de uma chamada. ´
Trocava tudo por um último abraço. Se eu soubesse que aquela ultima vez iria ser ultima tinha sido tão diferente.. Estou tão arrependida do que não fiz, não disse, não demonstrei.
O que ainda custa é saber como foi um acidente estúpido, bastava-te uma unha de sorte e tinhas-te safado...
As memórias consomem-me, queria ter-te ter aqui. São e salvo. Não entendo porque te tiraram o que mais prezavas, a vida! Não entendo e não em conformo, não consigo.
Dizias sempre '' sou um rapaz pequeno mas funciono como homens grandes'', é verdade. Eras um grande Homem. Sempre serás.
Dizem que as pessoas não partem enquanto viverem nas nossas memórias, nos nossos corações e no nosso pensamento e é mesmo esta a razão de ter tanto medo que desapareças. E se deixar que a minha vida ocupe mais lugar que tu? E se quando for forte o suficiente para me mentalizar que já não estás fisicamente comigo, me esquecer de muitas das coisas que vivemos? Como é possível voltar a ir a um almoço de família sem ti? Quem vai preencher o teu lugar? Quem?
Viste sempre o meu melhor lado, não me lembro de me apontares o dedo, não me lembro de ter medo de te perder porque tinha a certeza absoluta que nunca me irias virar costas. ''Longe da vista, perto do coração'', connosco foi sempre assim. Sempre muito perto um do outro e, no entanto, tão longe.
Há dias em que, por mais amigos que tenha, sinto-me sozinha. As saudades que sinto de ti são, a maioria das vezes, a razão.
O choque inicial foi enorme, foi tudo tão depressa, aconteceu tudo sem que eu me pudesse aperceber. Só gostava de me ter despedido de ti á altura, sabes? Penso que é mesmo isto que me faz falta.
O mais triste disto tudo é saber que não merecias tal coisa, ninguém merece é verdade mas tu.. Tu eras das pessoas mais puras e verdadeiras que já tive o prazer de conhecer, eras o mais vivo e o mais amante da boa disposição. Tenho a certeza que em apenas 20 anos de existência, deixaste marcas bem fundas na vida de muita gente e sabes que mais? É orgulho ter tido a honra de partilhar tantas coisas contigo.
Sabes que mais? Se cá estivesses fazias 21 aninhos e por isso, parabéns!
Te amo, anjinho da guarda. Sentimos muito a tua falta. *

Tumblr_lw6uq2xrde1qbpwzeo1_500_large

4 comentários:

João disse...

Um grande abraço B

B. disse...

Obrigada, um beijinho *

Cat disse...

Sei bem o que sentes. Mas eles ficam sempre, não tenhas medo.
Um beijinho

B. disse...

Obrigada Cat. Um beijo